Long story short

 

Illustrations for a picturebook project.

O tamanho do metro vai cabendo na estação de forma apressada. Ouço-o e apresso-me. Uma velhinha ao meu lado apressa-se ainda mais. Corre como quem já não tem idade. Cai tombando um joelho ao chão. Vejo a cena e sinto a pressa das carruagens. Olho para ela e para a minha própria urgência: o metro não espera por ninguém. Ouço uma voz rouca “No child left behind!” e levanto-a do chão. Pego nela como se fosse um tabuleiro carregado de fina porcelana para uma mesa cheia de gente fina. Ela olha-me perplexa e para o soalho que não a sustenta mais. Corro a direito, desço as escadas à esquerda, entro na primeira porta a guinchar, pouso-a num banco como se estivesse a deitar o meu mais novo. A porta cerra-se com uma pancada definitiva. Pisca os olhos acordando da surpresa. Sorri-me através dos óculos “obrigada, meu anjo”. Como é que ela soube o meu nome?

Gonçalo Amadeu

 

September 2012.

gonçalo amadeu       

 

 
The dimension of the subway comes and fills the station with haste. I hear it and I rush. An old lady next to me rushes even more. Runs as one who doesn’t know what age is. She falls toppling one knee to the ground. I see the scene and feel the rush of the cars. I look at her and to my own urgency: the subway waits for no one. I hear a hoarse voice "No child left behind!" and get her up off the ground. I carry her as if she is a loaded tray of fine china for a table full of fine people. She looks at me perplexed and to the floor that holds her no more. I run to the right, go down the stairs to the left, enter the first shrieking door, land her on a seat as if I was laying my youngest to sleep. The door closes with a final blow. She blinks her eyes, waking with surprise. She smiles at me through her glasses "Thank you, my angel." How did she ever know my name?